advogado-estudando-online (1)

As correlações entre o disclosure e a propensão dos pacientes a apresentar uma reclamação ou a acionar o Poder Judiciário

Atualizado em 26/07/2022
Por Aline Albuquerque

As correlações entre o disclosure e a propensão dos pacientes a apresentar uma reclamação ou a acionar o Poder Judiciário

Atualizado em 26/07/2022
Por Aline Albuquerque

As correlações entre o disclosure e a propensão dos pacientes a apresentar uma reclamação ou a acionar o Poder Judiciário

Aline Albuquerque

O estudo de Case et al, de 2021[1], trata da relação entre as experiências de eventos adversos vivenciadas por pacientes, a divulgação dos eventos e a propensão dos pacientes a reclamações ou ações judiciais.

Os pesquisadores realizaram um estudo transversal, o qual envolveu 20.000 participantes escolhidos aleatoriamente. Os participantes pesquisados ​​tinham mais de 45 anos e estavam internados em New South Wales, Austrália, entre janeiro e junho de 2014.

Eles foram identificados por meio de vinculação de dados para capturar experiências de eventos adversos.

Dos 7.661 entrevistados, 474 participantes (7%) relataram ter sofrido um evento adverso. Aqueles que não receberam um pedido de desculpas ou expressão de arrependimento no processo de disclosure foram significativamente mais propensos a apresentar uma reclamação (P <0,05).

Aqueles que souberam do evento pela equipe do hospital, mas não participaram do processo de disclosure, foram significativamente mais propensos a procurar aconselhamento jurídico (P <0,05).

Os pacientes que apresentaram uma reclamação geralmente perceberam que tiveram mais problemas em seu atendimento hospitalar, com diferenças significativas identificadas entre aqueles que fizeram e não fizeram uma reclamação em 13 dos 15 itens do Picker Patient Experience Questionnaire.

Embora a divulgação de incidentes não tenha sido associada ao fato de uma reclamação ter sido feita ou de uma ação judicial, foram observadas associações significativas entre os principais aspectos do processo de disclosure e esses resultados.

Diferenças significativas entre aqueles que fizeram e não fizeram uma reclamação foram observadas em relação aos componentes de tempo e do pedido de desculpas no processo de disclosure. O papel crítico da experiência geral do paciente no contexto do gerenciamento ideal de eventos adversos ficou evidente a partir desses dados.


[1] Case, Jennifer et al. What Drives Patients’ Complaints About Adverse Events in Their Hospital Care? A Data Linkage Study of Australian Adults 45 Years and Older .Journal of Patient Safety, v. 17, n. 8, 2021, p. e1622-e1632.

As correlações entre o disclosure e a propensão dos pacientes a apresentar uma reclamação ou a acionar o Poder Judiciário

Aline Albuquerque, aqui no Blog.
Professora do Programa de Pós-Graduação em Bioética da Universidade de Brasília. Coordenadora do Observatório Direitos do Paciente da Universidade de Brasília. Pesquisadora Visitante na Universidade de Oxford. Pós-doutorado pela Universidade de Essex. Doutorado em Ciências da Saúde. Autora dos livros Bioética e Direitos Humanos, Direitos Humanos dos Pacientes e Capacidade Jurídica e Direitos Humanos. Membro da Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente. Membro do Comitê Hospitalar de Bioética do Grupo Hospitalar Conceição e do Comitê Hospitalar de Bioética do Hospital de Apoio de Brasília. Membro do Redbioética da UNESCO.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: As correlações entre o disclosure e a propensão dos pacientes a apresentar uma reclamação ou a acionar o Poder Judiciário.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This