Plano Avançado de Cuidado

Plano Avançado de Cuidado

Atualizado em 18/02/2021
Por Aline Albuquerque

Plano Avançado de Cuidado

Atualizado em 18/02/2021
Por Aline Albuquerque

Plano Avançado de Cuidado

O ser humano tem a capacidade única de planejar o futuro. Escolher a profissão, a aquisição de bens, a constituição da família, onde morar depois da aposentadoria, são exemplos de planejamentos. Entretanto, a maioria das pessoas evitam uma questão muito importante: que tipo de atendimento médico desejam se tiverem uma doença crônica ou se ficarem muito doentes, confusas ou incapazes de tomar decisões[1].

O fato é que a vida é imprevisível. Um acidente ou um derrame pode deixar uma pessoa temporariamente incapacitada de tomar decisões por si mesma. Nesse caso, outras pessoas, como seus familiares, serão levadas a tomar decisões durante tal crise que podem diferir das necessidades, da vontade e das preferências do paciente. Para evitar essa situação, pode-se fazer um Plano Avançado de Cuidado.

O Plano Avançado de Cuidado permite que familiares e profissionais de saúde decidam de acordo com a necessidade, a vontade e as preferências de um paciente adulto durante doenças graves ou acidentes em que resultem em sua incapacidade de tomada de decisão.[2] Tal possibilidade só é factível porque o paciente adulto participou de um processo envolvendo sessões de diálogos (que podem ser gravados em áudio ou vídeo, ou simplesmente um registro em seu prontuário documentando o conteúdo dessas conversas)[3] com seus familiares e profissionais de saúde. Mediante esses diálogos o paciente expressou suas necessidades, vontade e preferências que nortearão a decisão sobre seus cuidados em saúde,  em um momento futuro, quando este não puder decidir.

O objetivo central do Plano Avançado de Cuidado é o respeito à autonomia pessoal do paciente adulto por meio da sua tradução em decisões de tratamento feitas por um decisor que refletem as decisões que o paciente teria feito por si mesmo[4] se estivesse em condições de fazê-lo.  


[1]Harvard Medical School Publishes Special Health Reports. Advance Care Planning. 2019. Disponível em: www.health.havard.edu Acesso em: 12 jan. 2021 

[2] SUDORE, Rl; LUM, Hg; YOU Jj; et al. Definnition Advance care Planning for adults: a consesus definition from a multidisciplinar Delphi panel.Pain Symptom Manage 2017; 53-821-832. Disponível em: https://escholarship.org/uc/item/7j53x1zp     Acesso em: 12 jan. 2021 

[3]Harvard Medical School Publishes Special Health Reports. Advance Care Planning. 2019. Disponível em: www.health.havard.edu Acesso em: 12 jan. 2021 

[4]  WILKINSON, Anne; WENGER, Neil; SHUGARMAN, Lisa. Literature Review on Advance Directives. Disponível em: https://aspe.hhs.gov/basic-report/literature-review-advance-directives Acesso em: 01 fev. 2021.

Plano Avançado de Cuidado

Aline Albuquerque, aqui no Blog.
Professora do Programa de Pós-Graduação em Bioética da Universidade de Brasília. Coordenadora do Observatório Direitos do Paciente da Universidade de Brasília. Pesquisadora Visitante na Universidade de Oxford. Pós-doutorado pela Universidade de Essex. Doutorado em Ciências da Saúde. Autora dos livros Bioética e Direitos Humanos, Direitos Humanos dos Pacientes e Capacidade Jurídica e Direitos Humanos. Membro da Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente. Membro do Comitê Hospitalar de Bioética do Grupo Hospitalar Conceição e do Comitê Hospitalar de Bioética do Hospital de Apoio de Brasília. Membro do Redbioética da UNESCO.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Plano Avançado de Cuidado.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This